Na tarde da última quarta-feira (26), a jovem Rhyllary Barbosa que lutou contra um dos assassinos no massacre na escola estadual Raul Brasil. A jovem recebeu uma homenagem carta e brasão da polícia de Nova York através do ex-policial Antônio Alfonso, que atuou durante 22 anos como policial em Nova York.
A homenagem aconteceu durante entrevista na rádio SAT.
“Entendi que a coragem da Rhyllary salvou muitas vidas. Vi a notícia, repercutiu muito no mundo, e quis conhecer a menina, principalmente porque São Paulo é uma cidade que a gente observa constantemente”, disse o ex-sargento.
“A forma que ela reagiu ao massacre me atraiu, então descobri que ela luta. Quis conhecê-la, procurá-la, e deu certo. Pensamos no caso, e minha esposa abriu as portas para que isso acontecesse”, emendou.
Rhyllary se emocionou durante a homenagem e afirmou “Houve um confronto físico, mas o cérebro dá pane na hora, você não sabe o que fazer, mas tem que decidir se vai viver ou morrer. Mantive a calma, a porta era pesada, então eu tinha que abrir para que outras pessoas saíssem dali também”, comentou Rhyllary. “Eu teria coragem de me colocar na frente da bala por alguém que estava lá. Por mais que fossem pessoas que eu não tivesse muito contato, não conseguiria ver alguém apontando uma arma para elas”, emendou.

Leave a Reply