O ex-prefeito de Ferraz de Vasconcelos, Acir Filló dos Santos, e outras oito pessoas, entre elas familiares de Santos, foram condenados por lavagem de dinheiro em ação movida pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) do MP-SP (Ministério Público de São Paulo). Filó foi a 13 anos e quatro meses de reclusão, em regime inicial fechado, mais o pagamento de 43 dias-multa.

Para os demais envolvidos, as sentenças foram de três a cinco anos de reclusão, mais multa. Cabe recurso. Com exceção de Santos, que já se encontra preso em decorrência de outras ações penais, os réus poderão recorrer em liberdade. De acordo com o Gaeco, o ex-prefeito teve uma evolução patrimonial de, ao menos, 31 vezes durante o exercício de seu mandato. Isso depois de, segudo a acusação, usar o setor de licitações da prefeitura para criar um esquema de desvio de dinheiro dos cofres públicos. Os envolvidos realizavam dispensas indevidas de licitação, fraudes na cotação de preços, direcionamento dos procedimentos licitatórios e superfaturamento dos valores dos produtos, além de fraudes na execução dos contratos.

A Justiça decretou ainda a perda, em favor do Estado, de todos os bens, direitos e valores descritos na denúncia, avaliados em torno de R$ 5 milhões, inclusive aqueles utilizados para prestar a fiança; bem como a interdição do exercício de cargo ou função pública de qualquer natureza e de diretor, de membro de conselho de administração ou de gerência das pessoas jurídicas, pelo dobro do tempo da pena privativa de liberdade aplicada a cada um dos réus.

Leave a Reply