O deputado estadual da região, Rodrigo Gambale (PSL), foi furtado dentro do Metrô, na Estação Brás, e anunciou, pelas redes sociais, a proposta de um projeto de lei para instalação de câmeras de monitoramento com reconhecimento facial. Os equipamentos seriam para os trens da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e Metrô.
O episódio ocorreu no último feriado, dia 9 de julho, data da Revolução Constitucionalista. O deputado disse, pelas redes sociais, que, neste dia, pegou um trem da CPTM, em Ferraz de Vasconcelos, onde mora, e desceu no Brás para fazer “baldeação” no Metrô. Dentro do trem do Metropolitano, um casal teria levado seu celular. Segundo Gambale, tudo começou quando uma ‘senhora’ o reconheceu dentro do trem do Metrô.
Depois de iniciar uma conversa e se distrair, um casal aproveitou e se aproximou. A mulher o empurrou, enquanto que o homem que estava com ela levou seu celular. “Foi tudo muito rápido. Questão de segundos”.
O deputado aproveitou para criticar, pelas redes sociais, a demora na circulação dos trens da CPTM nos finais de semana e feriados, quando são feitas manutenções na rede ferroviária. “São 30 minutos de espera de um trem, quando o ideal seriam oito”.
Ele disse que, apesar de o secretário de Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, estar fazendo um “bom trabalho”, há problemas nos trens da CPTM para resolver.
“Os trens são sempre cheios. Os passageiros ficam como se estivessem dentro de uma lata de sardinha”, criticou.
Ele afirmou que, na questão da segurança, as câmeras de monitoramento com identificação facial podem ser uma saída. “Até para pessoas desaparecidas’. Para Gambale, a segurança é falha.

(Edgar Leite – Diário de Suzano)

Leave a Reply