O presidente da república Jair Messias Bolsonaro criticou na última sexta-feira (19) o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), e orientou o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, a “não dar nada” a ele. A conversa foi captada por microfones de grandes meios de comunicação, segundos antes de Jair Bolsonaro sentar à mesa com jornalistas de veículos estrangeiros, recebidos em café da manhã no Palácio do Planalto.

Em carta divulgada na noite da última sexta-feira (19), referente declaração do Presidente, governadores do Nordeste consideram a fala uma forma de retaliação.

Em nota distribuída pela assessoria de Flávio Dino, governador do Maranhão, no qual Bolsonaro atacou através do áudio, eles afirmam que receberam “com espanto e profunda indignação a declaração do presidente da República transmitindo orientações de retaliação a governos estaduais, durante encontro com a imprensa internacional”.

“Nós governadores do Nordeste, em respeito à Constituição e à democracia, sempre buscamos manter produtiva relação institucional com o Governo Federal. Independentemente de normais diferenças políticas, o princípio federativo exige que os governos mantenham diálogo e convergências, a fim de que metas administrativas sejam concretizadas visando sempre melhorar a vida da população”, diz a nota.

Em sua rede social, o governador Flávio Dino sugere que Bolsonaro cita Paraíba para se referir a todos os nordestinos, o que não fica claro no trecho em que é possível ouvir a conversa. O termo “paraíba” é uma forma pejorativa usado principalmente no Rio, para se referir a migrantes nordestinos.

“Parece chamar todos os nordestinos de “paraíba” e me ameaça, com estranha raiva. Lamento e espero explicações, pois isso é algo realmente inédito e incompatível com a Constituição”, diz o governador do Maranhão.

Bolsonaro tem viagem prevista para o Nordeste na próxima semana. Ele participará da inauguração de um aeroporto em Vitória da Conquista, na Bahia.

Leave a Reply