A Feira do Ceasa on-line (www.feiradoceasa.com.br) inaugurou, o comércio fracionado de frutas, legumes e verduras, voltado ao varejo. A iniciativa atende ao aumento da demanda pela compra virtual de “pessoa física”, ou seja, de famílias paulistas reclusas, devido ao período de quarentena em decorrência do coronavírus, que viram na plataforma um meio de manter o abastecimento doméstico.

O site para compra de FLV do Ceagesp entrou no ar janeiro tendo como público alvo o atacado e, especialmente, o segmento food. Nas últimas 48 horas, a plataforma registrou aumento de 300% nos acessos e a previsão é de que o faturamento acompanhe a mesma ordem de grandeza. O novo modelo de negócios já representa 60% das vendas do site na primeira campanha de lançamento.

A plataforma nasceu com o objetivo de simplificar a compra e venda dos produtos FLV (Frutas – legumes – Verduras) entre os permissionários do Ceasa e compradores da rede atacadista e de todo o segmento food service, que compreende padarias, bares e restaurantes – setores que buscam qualidade e pouca quantidade, porém com recorrência.
“O objetivo era levar o Ceasa até o comprador, oferecendo comodidade, economia de tempo, dinheiro e a oferta de produtos frescos, com o selo de qualidade do maior hortifruti a céu aberto da América Latina.

Mas nas últimas semanas assistimos ao aumento da compra pelo varejo que, para ter acesso aos produtos, investiam na quantidade com o risco de perder boa parte da compra pela perecidade, o que não faz sentido em tempos de consumo consciente. Então, nos organizamos internamente e mobilizamos os nossos sellers para oferecer quantidades reduzidas. Essa iniciativa também nos ajudou a compensar as perdas que registramos no atacado, em decorrência do fechamento de boa parte da cadeia que compõe o setor food service”, explica Cristian Rosa, fundador da CV Market Place, administradora da plataforma.

Pandemia – Com a ampliação da quarentena por mais 15 dias e a manutenção do fechamento do comércio, anunciados pelo Governo do Estado nesta segunda-feira (6), a expectativa é de que as vendas registrem aumento de 300% até a próxima sexta-feira, avalia Wander Paes, CEO da CV Market Place. “Além da necessidade cotidiana, estamos na semana Santa, às vésperas de um feriado importante para muitas famílias. Embora isoladas, boa parte seguirá o ritual das celebrações tanto na sexta-feira quanto no domingo e demandarão por nossos serviços”, explica Paes.

Para ele, a tendência da compra on-line será reforçada nos próximos meses. “A crise da saúde impôs mudanças drásticas na rotina da população e forçou a adoção de um novo comportamento, que prevê a “digitalização” dos serviços como, por exemplo, a venda de produtos tão delicados como frutas, legumes e verduras pela internet. As pessoas tendem a incorporar as novas tecnologias no dia a dia, especialmente quando são bem sucedidas em suas experiências. Dessa forma vejo a compra on-line e uso dos serviços de delivery como uma forte tendência, mesmo após o coronavírus”, completa o CEO.

Mix de produtos – No site estão cadastrados mais de 5 mil produtos, dos quais cerca de 200 já estão disponíveis para a comercialização. O sistema pode receber, a qualquer momento, novos fornecedores para completar o mix e tem potencial para atender a toda a cadeia que opera no Ceasa, composta por cerca de 2,8 mil permissionários.

Além dos itens tradicionais, há também a linha premium e as frutas exóticas que atraem multidões à Central de Abastecimento, como physalis, cupuaçu, macadâmia, mirtilo, entre outros.

 

Leave a Reply