Suspeito de matar família boliviana se passou pelas vítimas em conversas nas redes sociais durante 15 dias

0
25
Ramiro desconfirou que Gustavo estava usando perfil de Jesus Reynaldo e pediu para que mandasse áudio ou atendesse ligação. — Foto: Ramiro Sirpa/Divulgação

Gustavo Vargas Arias, principal suspeito de matar e esquartejar três pessoas de uma família boliviana, se passou pelas vítimas utilizando as redes sociais delas por pelo menos 15 dias. A informação é de Clelia Lidia Roque Condori, prima Jesus Reynaldo Condori Zaniro, uma das vítimas, que diz ter as mensagens respondidas pelos perfis das vítimas entre 24 de dezembro e 7 de janeiro.

Os corpos do casal e do filho foram encontrados nesta terça-feira (8) numa casa em Itaquaquecetuba. Jesus Reynaldo Condori Sanizo, de 39 anos, Irma Morante Sanizo, de 38 anos, e Gian Abner Morante Condori, de 8 anos, filho deles, estavam enrolados em sete camaras de plástico, mutilados e dentro de malas, caixas e pacotes.

Dois homens já foram presos por suspeita de participação no crime: Miguel Alvaro Bautista Silva e Roberto Kally Javier. Mas o principal suspeito, Gustavo, segue foragido.

Os dois presos são amigos de Gustavo, que era cunhado de Irma. A família de Jesus Reynaldo estava morando no Brasil há 18 anos e sempre trabalhou com confecção. Já o suspeito estava há oito anos no país e há um ano começou a trabalhar com a família.

Suspeito Gustavo Vargas Arias está foragido — Foto: Reprodução/TV DiárioSuspeito Gustavo Vargas Arias está foragido — Foto: Reprodução/TV Diário

Suspeito Gustavo Vargas Arias está foragido — Foto: Reprodução/TV Diário

Conversas pelas redes sociais

Em entrevista do G1 por telefone nesta quinta-feira (10), Clelia contou que fez contato com Irma Morante pelas redes sociais na noite de 24 de dezembro, para desejar feliz Natal. Mas ela acredita que a mensagem foi respondida por Gustavo.

“Não viram mais Irma desde o dia 23. Na mensagem ela respondeu que estava na casa de primas e que tudo estava bem. Na noite de Ano Novo, novamente mandei mensagem, mas só me respondeu no dia primeiro, desejando um bom ano para mim e à família”, contou.

Depois desse contato, Clelia diz que o perfil de Irma não ficou mais online nas redes sociais. Vieram as informações de que o casal estava desaparecido, mas o marido de Clelia mantinha contato com o perfil de Jesus Reynaldo, que a família também acredita que era usado por Gustavo.

“No dia 7 de janeiro, estávamos todos muito preocupados com o desaparecimento. O Ramiro mandou nova mensagem ao Jesus, que respondeu que estava tudo bem com eles, que não tinha de se preocupar. Ramiro pediu para que mandasse uma mensagem de áudio, mas ele [Gustavo] respondeu que não mandaria porque o celular estava com problemas”, contou.

Clelia acredita que Gustavo utilizou perfil de Irma para responder mensagem de Ano-Novo.  — Foto: Ramiro Sirpa/DivulgaçãoClelia acredita que Gustavo utilizou perfil de Irma para responder mensagem de Ano-Novo.  — Foto: Ramiro Sirpa/Divulgação

Clelia acredita que Gustavo utilizou perfil de Irma para responder mensagem de Ano-Novo. — Foto: Ramiro Sirpa/Divulgação

Esta foi a última vez que Clelia e o marido Ramiro tiveram mensagens respondidas pelo perfil das vítimas. Ela diz que possivelmente neste dia Gustavo fugiu.

“Ele foi até a casa do Roberto [amigo do Gustavo preso suspeito de participação no crime] e pediu R$ 3 mil emprestados para ele. Mostrou R$ 8 mil em cheques, em nome de Reynaldo [vítima assassinada], e disse que tão logo receberia aquele dinheiro e já devolveria os R$ 3 mil. Ele disse que um advogado iria receber o dinheiro para ele, e cobraria cinco por cento por isso”, conta Clelia.

O celular de Irma foi encontrado na casa de Roberto. Já o celular de Jesus Reynaldo ainda não foi localizado.

Um irmão de Jesus chegou ao Brasil na tarde desta quinta-feira e irá decidir se a família será enterrada no Brasil ou na Bolívia.

Corpos de família de bolivianos foram encontrados mutilados em malas em casa em Itaquaquecetuba  — Foto: Reprodução/ TV DiárioCorpos de família de bolivianos foram encontrados mutilados em malas em casa em Itaquaquecetuba  — Foto: Reprodução/ TV Diário

Corpos de família de bolivianos foram encontrados mutilados em malas em casa em Itaquaquecetuba — Foto: Reprodução/ TV Diário

Investigação

Nesta quarta-feira (9), a Justiça decretou a prisão temporária dos três suspeitos. Miguel Alvaro Bautista Silva e Roberto Kally Javier, amigos de Gustavo, foram presos ainda na quarta-feira, enquanto prestavam depoimento na DP do Cayubi.

O delegado Eliardo Jordão, responsável pelo caso, afirma que a motivação do crime pode ter sido financeira. Gustavo, estaria de olho nos negócios da família.

“Chegam informações desencontradas. Uma delas é de que seria por dinheiro. Outra que o principal suspeito estaria de olho nos negócios da família. Mas ainda não é possível afirmar qual foi a motivação e não podemos descartar nenhuma delas”, pontua o delegado.

O cônsul da Bolívia acompanha o caso.

Justiça decretou prisão de três suspeitos em envolvimento na morte de família de bolivianos — Foto: Reprodução/TV DiárioJustiça decretou prisão de três suspeitos em envolvimento na morte de família de bolivianos — Foto: Reprodução/TV Diário

Justiça decretou prisão de três suspeitos em envolvimento na morte de família de bolivianos — Foto: Reprodução/TV Diário

Informações desencontradas

Na manhã desta quinta-feira, Ramiro Sirpa, marido da prima de Jesus, disse que Gustavo Vargas Arias, principal suspeito do crime, deu informações desencontradas a eles.

Ele disse que deixou o menino no dia 23 com o tio e principal suspeito do crime: Gustavo Vargas Arias. Segundo Ramiro, desde então o suspeito dava informações desencontradas.

“O Gustavo disse primeiro que eles tinham ido para a Bolívia, mas a nossa família de lá não confirmava isso. Depois ele disse que tinham ido para o interior de São Paulo ver uma casa mais em conta para alugar. Quando eu perguntei o endereço, ele disse que não se lembrava. A gente se assustou e começou a procurar.”

A família está em choque. Ramiro contou que o menino Gian passou o dia 23 brincando na sua casa, na companhia da filha dele, que tem a mesma idade.

“Eu fui levar o menino. Mas ele sempre vinha buscar. Eu liguei no celular do Jesus, ele não atendeu e estava chovendo. Chegando na casa deles, ninguém atendeu. Quem saiu foi o Gustavo. Eu perguntei dos pais e ele disse que tinham ido ao mercado, mas eu vi que a televisão estava ligada e a luz estava acesa e achei estranho. Ele me disse que tinham esquecido e, como ele era da família, eu não desconfiei e deixei o menino com ele.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here